terça-feira, 26 de janeiro de 2016

O dia em que quis matar o meu sogro

Na epoca, eu estava tendo um caso com uma amante que foi a unica com quem eu de fato gostava, não era apenas sexo, aquela com quem passei a virada de ano, pois bem, meu sogro nao mora aqui na cidade, ele veio passar uns dias aqui, e quando ele vinha, ele ficava na casa da minha cunhada, nunca ficava aqui conosco.
Então, minha patroa viajou, mas voltaria em dois dias, como as crianças ficavam comigo, não dava pra sair, e nessa epoca, a secretaria de casa, trabalhava só de dia, não dormia la em casa, por isso, nao tinha como eu sair a noite.

Combinei com meu grande amor, que a noite, após o jornal nacional, ela iria la pra casa, pois ja teria colocado as crianças para dormir, e que eu iria deixar o portão só encostado, ela podia só chegar e abrir a porta, para evitar de ser vista por vizinhos

La foi, pus a crianças pra dormir, tomei um banho bem gostoso, raspei os pelos do saco, e fiquei esperando ela chegar, mal acabou o jornal nacional, e ja escuto mexendo na porta, la fui eu com um sorriso no rosto recebela, e para minha desgraça, quem é que chegou?



ele mesmo, meu sogro, o infeliz, chega sem avisar, e ainda chega dizendo que eu tenho que ter cuidado, que nao posso deixar a porta só encostar, e ainda me diz que vai dormir ali, ai eu me agoniei, tentei ligar pra gata, mas só dava caixa postal, e eu vendo a hora dela chegar em casa.

Ai tive a ideia, de deixar a luz da garagem acesa, na esperança dela ver a luz acesa e estranhar e nao entrar, passou uns 10 minutos e tive uma ideia
- Ei sogro maldito, fica ai com as crianças que eu vou aqui na praça comprar um cachorro quente
- esta bem genro supremo

Peguei o carro, e fui, ja ao virar a esquina, la estava, meu amor, junto com o irmao dela (ele sabia do esquema, e foi deixar ela la em casa) Caras, ali meu odio aumentou, eu nunca, nunca a havia visto tão linda e cheirosa como naquele momento, ela se produziu de forma encantadora, espetacular, eu tive que me conter para as lagrimas de odio não escorrem de meus olhos.



Expliquei pra ela o que havia acontecido, e que infelizmente, não teria como ela ir la pra casa, demos um breve beijo e voltei pra casa.

Ao chegar, meu desejo era de dar uma surra, mas surra mesmo, espancar, capar, e botar pra ele comer os proprios ovos,


Mas só falei pro velho, que estava cansado e que ja ia dormir, nem falei mais com ele nessa noite, eu fiquei tão arrasado que nem numa punheta pensando nela eu consegui.


Velho maledito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

posta ae